sexta-feira, 10 de setembro de 2010

30º ENEPE:


A luta contra o retorno do governismo e do parlamentarismo no movimento estudantil de pedagogia



Aconteceu no mês de julho, em Brasília, o último Encontro Nacional dos Estudantes de Pedagogia (30º Enepe). O encontro realizou-se num período onde seria importante aprofundar e qualificar a luta dos estudantes de pedagogia contra os ataques do Governo Federal à educação e à profissão de pedagogo, e para isso dar continuidade à ruptura com o governismo, representado pela UNE (União Nacional dos Estudantes) no movimento de curso que se desligou à entidade há 4 anos. Todos esses pontos foram ressaltados e levantados na primeira atuação da RECC no ENEPE para que o curso de Pedagogia continue sendo vanguarda no combate ao governismo, que repudie o oportunismo e o parlamentarismo.

Porém, muitos problemas organizacionais do encontro prejudicaram um debate aprofundado sobre concepção de movimento estudantil de pedagogia, como foi o caso de algumas das mesas, que foram de péssima qualidade (educacionistas, pós-modernas, reformistas etc), mesmo que algumas outras mesas tenham sido boas como a de regulamentação da profissão, contando até com altas autoridades governamentais e políticos de partidos eleitoreiros, não colaborando em nada com a luta dos estudantes que sofrem o dia-a-dia da precarização e privatização do ensino público do país. Além disso, a atuação vergonhosa de grupos que representam o que há de mais pobre no Movimento Estudantil, como a UJS, máfia da UNE, que tentaram, através de manobras, levar o movimento de pedagogia de volta para as mãos do parlamentarismo e do governismo, imobilizando a luta combativa dos estudantes.


Esses grupos que apóiam cegamente os ataques do governo (e recebem muito dinheiro para isso!) não representam a voz dos estudantes lutadores e trabalhadores, tanto é que suas tentativas de modificação do estatuto foram negadas até mesmo com a plenária final esvaziada. Chegando ao ápice de caluniar na plenária final uma militante da Executiva Nacional de Pedagogia e do ‘Campo de Luta da Pedagogia’, sob uma falsa polêmica de que ela "não estaria seguindo corretamente o papel da executiva" no intuito claro de criminalizar os estudantes combativos do nosso curso. Aproveitando o esvaziamento da plenária final conseguiram aprovar uma injusta sanção.

Um momento do encontro de grande significado foi o ato que contou com cerca de 400 estudantes na sede do MEC. Houve fechamento de rua e os estudantes provaram o descontentamento com o ministro capacho das instituições financeiras mundiais que tira dinheiro da educação e privatiza o ensino público. O ministro capacho não recebeu os estudantes pois “estava em reunião”. Nesses momentos o oportunismo da UNE se recolhe, traindo a luta verdadeira dos estudantes.

Nós da RECC, achamos necessário construir um movimento de pedagogia a nível nacional que se paute pelas bandeiras do classismo, ação-direta e anti-governismo. Essa construção deve se construir em locais e congressos de base, como o Enepe, combatendo tanto o governismo (UNE, PT), quanto o para-governismo amorfo (PSTU, PSOL) que não representa uma ruptura com as entidades governistas.


Abaixo o governismo e o parlamentarismo do movimento estudantil de pedagogia! Fora UNE reformista!

Por um movimento estudantil de pedagogia classista e combativo!

2 comentários:

Anônimo disse...

http://farsaeleitoral.blogspot.com/

Monica disse...

OLÁ RECC, QUERO MANIFESTAR O MEU TOTAL APOIO AO PROTESTO CONTRA ESSA FALTA DE VERGONHA, DESSA ESCORIA DE POLITICOS CORRUPTOS QUE REAJUSTAM EM 133% OS SALARIOS DELES.NÃO QUERO ME OMITIR NEM COMPACTUAR COM ESSA FARSA.
DIVULGUEM, ESTIMULEM OUTRAS PESSOAS QDO SERÁ O PROTESTO EM SALVADOR, NÃO SOU ESTUDANTE MAS ESTAREI PRESNTE.

MONICA MILLET